A investigadora do Laboratory of Forensic Anthropology do Centre for Functional Ecology, Eugénia Cunha, faz parte da equipa de antropologia forense que abriu o túmulo de António de Ataíde, retirou os restos ósseos e vai agora analisá-los. Segundo declarações da investigadora da Universidade de Coimbra (UC) ao Expresso “Os ossos estão bem conservados e por isso vamos certamente encontrar ADN em condições de ser extraído do fémur e dos dentes”.

O objetivo deste trabalho, parceria entre a UC e o Instituto Superior Técnico, é comparar o ADN de António de Ataíde, cujas ossadas estavam guardadas há mais de 450 anos na Quinta de Santo António, perto de Vila Franca de Xira, com o ADN de Hernando Colon, filho de Colombo. Estas análises poderão esclarecer se Cristóvão Colombo foi ou não um corsário português chamado Pedro de Ataíde.

Reportagem Expresso

Reportagem RTVE (minuto 31:15)